Instituto do Câncer promove ação na Avenida Paulista para campanha de conscientização sobre o HPV

No último domingo, 3, na calçada do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o Icesp realizou a Campanha de Conscientização sobre o Papilomavírus Humano (HPV), em alusão ao Dia Internacional de Conscientização sobre o HPV, comemorado em 4 de março.

A iniciativa foi liderada pela Dra. Lara Termini com a colaboração da doutoranda Milena Gonçalves, do grupo de HPV do Instituto, coordenado pela Profa. Dra. Luisa Villa, e realizada em conjunto com a Sociedade Internacional de Papilomavírus (IPVS) e a Fiesp, contando com o apoio das instituições: A. C. Camargo Cancer Center, instituição especializada no atendimento de pacientes oncológicos, e o EVA – Grupo Brasileiro de Tumores Ginecológicos. Além disso, contou com o prestígio de representantes das Sociedades Brasileiras de Imunizações, Pediatria e de Cirurgia de Cabeça e Pescoço durante o dia de evento.

O objetivo da ação era disseminar para a população informações de qualidade sobre o HPV, uma vez que a infecção por este tipo viral está associada ao desenvolvimento de diversos tipos de cânceres, como colo uterino, vagina, vulva, ânus, pênis, boca e garganta. Na ocasião, equipes médico-científicas e multiprofissionais do Icesp, estavam à disposição do público para o esclarecimento de dúvidas e fornecer orientações, conforme eram abordados pelo grupo de teatro em uma dinâmica de perguntas e respostas sobre o tema e tinham interesse em saber mais sobre o assunto. 

De acordo com a estimativa da Fiesp, cerca de 5 mil pessoas transitaram em frente à tenda no horário da iniciativa, das 9h às 13h. Deste total, aproximadamente 500 pessoas foram impactadas com informações sobre prevenção das infecções causadas pelo HPV por meio de folhetos e bottons, além de receberem orientações sobre os meios de transmissão do vírus e a importância de realizar os exames de rastreio.

Durante a iniciativa, estava presente a paciente do Icesp, Marcia Bontempo, que recebeu o diagnóstico de câncer do colo do útero em 2020 devido a uma infecção causada pelo HPV, e hoje, após o tratamento da doença, compartilha com as pessoas sua experiência para incentivar a importância do cuidado com a saúde. 

O que é HPV? 

O HPV é um vírus que atinge homens e mulheres e até o momento foram descritos mais de 200 tipos virais. Estes vírus podem infectar pele e mucosas, e sua principal forma de transmissão é por meio da atividade sexual. Mais raramente, pode acontecer a transmissão pelas mãos, objetos íntimos e roupas de uso pessoal contaminados. A transmissão do vírus de mãe para filho, durante o parto normal, também é possível.

A prevenção primária (por meio da vacinação contra o HPV) e a prevenção secundária (realização de exames preventivos ginecológicos de rotina, como o exame de Papanicolaou), são de extrema relevância para a diminuição do câncer do colo uterino. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), este tumor é o terceiro mais incidente entre as mulheres no Brasil e foram estimados 17 mil novos casos por ano, até 2025.

A chefe do Laboratório de Pesquisa e Inovação em Câncer do Icesp, Profa. Dra. Luisa Lina Villa, destaca a importância de conscientizar a população sobre a prevenção do vírus por meio da vacinação. “É nosso papel conscientizar a todos de que o HPV afeta homens e mulheres, e assim ressaltar que a vacina preventiva deve ser administrada antes do início da atividade sexual, de 9 a 14 anos, permitindo que a infecção pelo HPV não aconteça e diminuindo o risco de câncer”, destaca. 

Além da ação durante o dia, no período da noite, foi projetada uma  mensagem de conscientização sobre o tema na galeria digital da Fiesp (fachada do edifício). 

Aconteceu no Icesp

Two general practitioners analyzing medical reports at doctor's office
Icesp promove Capacitação Técnica em Monitorização Hemodinâmica e Manejo de exames laboratoriais e de imagem em Pacientes Críticos
A124 - Centro de Reabilitação - CARF_linkedin
Serviço de Reabilitação do Icesp recebe selo de reacreditação da Commission on Accreditation of Rehabilitation Facilities (CARF)
capa
Instituto do Câncer promove ação na Avenida Paulista para campanha de conscientização sobre o HPV
240219 - Colação de grau - Residentes da Oncologia Clínica, Radi ( (575)
Instituto do Câncer realiza cerimônia de colação de grau dos residentes médicos
240219 - Inauguração do Centro de Estudos e Tecnologias Convergentes para Oncolo (23)
Icesp promove inauguração do Centro de Estudos e Tecnologias Convergentes para Oncologia de Precisão da USP (C2PO)
231218 - Lançamento do Livro Mar de Rosas (5)
Mar de rosas: Icesp promove lançamento do livro com relatos de integrantes do Programa Remama
Feed_cuidados_paliativos_enfase_ocnologia_adulto_01 (1)
Inscrições abertas: Especialização Multiprofissional em Cuidados Paliativos com Ênfase em Oncologia no Adulto
Feed_Radioterapia-para-formação-de-dosimetristas_01 (1)
Inscrições abertas: Especialização em Radioterapia para Formação de Dosimetristas
DCIM100MEDIADJI_0125
Instituto do Câncer realiza 7ª edição da Icesp Run

É o tratamento que utiliza iodo radioativo (Iodo-131) para o controle dos carcinomas diferenciados da glândula tireoide.

O objetivo é combater às células cancerígenas que ainda restaram na tireoide após a cirurgia (tireoidectomia) ou metástases, sendo destruídas através da radiação emitida pelo iodo.

Os pacientes recebem orientação para realização de uma dieta pobre em iodo, no período que antecede a internação, através do nutricionista ambulatorial. Evitam o consumo de sal iodado, sal marinho e alimentos salgados, pois são fontes de iodo.

O que você deve fazer:

• Enxágue a boca com água pura antes das refeições ou faça bochechos com chá de camomila antes das refeições.
• Experimente balas azedas e/ou ácidas ou gotas de limão (30 gotas em 1 copo de 200ml) ou gelatina de limão (caso não apresente feridas na boca).
• Use temperos naturais em maior quantidade, como: manjericão, orégano, salsinha, hortelã, alecrim, coentro, por exemplo.
• Substitua os talheres de metal pelos de plástico, caso sinta sabor residual metálico.
• Mantenha boa higiene bucal.

O que você deve evitar:

• Consumir alimentos muito quentes ou muito gelados.

O que você deve fazer:

• Preparar sua refeição na consistência que for mais bem tolerada, que ofereça menor dificuldade para mastigar ou engolir, podendo variar entre branda, pastosa ou líquida (conforme avaliação da fonoaudióloga).
• Tomar pequenos goles de água ou suco durante as refeições podem ajudar a engolir.
• Faça as refeições em pequenas quantidades, várias vezes ao dia.

O que você deve fazer:

• Consuma alimentos macios e pastosos.
• Prefira alimentos gelados ou à temperatura ambiente.
• Se necessário, utilize alimentos líquidos ou liquidificados.

O que você deve evitar:

• Alimentos ácidos, picantes ou muito salgados.
• Alimentos muito quentes.

O que você deve fazer:

• Prepare as refeições com caldos ou molhos. 
• Se não houver feridas na boca, chupe balas azedas e/ou ácidas, picolés ou gelo e mastigue chicletes (de preferência sabor menta), que podem ajudar a produzir mais saliva.
• Consumir líquidos em abundância: chás, sucos diluídos e, principalmente, água.

O que você deve evitar:

• Comer alimentos secos.

O que você deve fazer:

• Consuma líquidos em abundância (chás, sucos diluídos e principalmente água).
• Prefira frutas laxativas: ameixa, laranja, mamão, abacate, ameixa seca, manga, banana nanica.
• Consuma as frutas com casca e bagaço, quando possível.
• Consuma preferencialmente hortaliças cruas (legumes e verduras).
• Consuma farelo de cereais (arroz, aveia ou trigo).
• Consuma produtos integrais (arroz, pães e torradas).
• Consuma leguminosas regularmente (ervilha, feijão, grão de bico, lentilha, soja, por exemplo).
• Consuma leite e derivados: iogurte, leite fermentado, mingau de aveia.

O que você deve evitar:

• Alimentos constipantes, como ricota fresca, queijo branco, sagu, tapioca, maisena, banana prata, banana maçã, pera, goiaba e maçã sem casca e sem sementes, caju.

O que você deve fazer:

• Consuma líquidos em abundância: chás, sucos coados e principalmente água.
• Procure ingerir alimentos como batatas, chuchu, cenoura cozida, aipim, inhame, cará, creme de arroz, arroz, macarrão com molho caseiro coado, farinhas, torradas, biscoito água e sal ou de maisena, carnes grelhadas (frango, peixe ou boi).
• Prefira sucos de frutas coados: limonada, caju, maçã e laranja sem açúcar.
• Prefira leite de soja.
• Consuma as frutas: banana-maçã, maçã e pera sem casca, goiaba sem casca e semente, caju.
• Consuma apenas o caldo de leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico). 

O que você deve evitar:

• Leite e derivados. 
• Alimentos gordurosos (manteiga, toucinho, banha, creme de leite, por exemplo).
• Frutas cruas em geral.
• Frutas e sementes oleaginosas (abacate, coco, nozes, amêndoas, amendoim, castanhas). 
• Condimentos picantes (páprica, pimenta, mostarda, ketchup, por exemplo).
• Conservas em geral (picles, azeitona, palmito, aspargos, milho e ervilha).
• Embutidos (salsicha, linguiça, presunto, salame, mortadela, por exemplo). 
• Leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico).
• Hortaliças cruas: legumes e verduras folhosas.
• Alimentos que causam flatulência (gases), como couve-flor, brócolis, repolho e ovo.

O que você deve fazer:

• Prefira alimentos gelados ou em temperatura ambiente.
• Faça pequenas refeições em menor intervalo de tempo.
• Coma devagar e mastigue bem os alimentos.
• Beba sucos ou chupe gelo ou picolé de frutas cítricas, como limão (se não estiver com feridas na boca) nos intervalos das refeições.
• Realize suas refeições em lugares bem arejados.

O que você deve evitar:

•Frituras e alimentos gordurosos.
•Doces concentrados, como compotas, goiabada, marmelada.
•Condimentos fortes (pimenta, ketchup, mostarda, molho inglês, por exemplo).
•Deitar-se após as refeições.
•Ficar próximo à cozinha durante o preparo das refeições. 

Banco Santander 033

Agência 0201

Conta Corrente 13-005061-5

Fundação Faculdade de Medicina/ICESP

CNPJ 56.577.059/0006-06

Pular para o conteúdo
Faça a sua doação