Instituto do Câncer realiza Roda de Conversa no Museu de Arte Contemporânea

Para encerrar as ações em prol da campanha Março Azul Marinho, na manhã do dia 27, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), unidade que integra o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e está ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, realizou a roda de conversa com o tema “Qualidade de vida do paciente em tratamento de câncer colorretal”. O evento contou com a participação de especialistas, pacientes e a população em geral para falar sobre o tema e foi realizado no auditório do Museu de Arte Contemporânea (MAC-USP), em São Paulo. 

O início do evento foi marcado por uma apresentação do grupo de teatro do Icesp. Para compor a mesa foram convidados: o coordenador da Oncologia Cirúrgica do Icesp, Prof. Dr. Ulysses Ribeiro Júnior; o chefe do grupo de Gastrointestinal da Oncologia Clínica do Icesp, Dr. Jorge Sabbaga; a enfermeira Estomaterapeuta, Rita de Cássia Freitas; e a enfermeira e paciente do Icesp, Jaqueline Germano. Como mediadores do evento estavam o coordenador de Relações Institucionais do Icesp, Felipe Godoy, e a coordenadora do Serviço de Reabilitação do Icesp, Munique Egle. 

Os especialistas, Prof. Dr. Ulysses Ribeiro Júnior e Dr. Jorge Sabbaga,  falaram sobre os tipos de prevenção, primária e secundária, com destaque para a mudança de hábitos como uma forma de diminuir a incidência da doença a longo prazo. Além disso, reforçaram a importância do rastreamento para chegar a um diagnóstico precoce, pois quanto mais cedo descoberto o câncer, maiores as chances de um tratamento menos agressivo ao paciente.

“70% dos casos advém dos nossos hábitos de vida, a nossa exposição aos fatores de risco, então se tivermos um hábito mais saudável é muito provável que a gente consiga diminuir a incidência da doença, é o que chamamos de prevenção primária”, reforçou o Prof. Dr. Ulysses Ribeiro Júnior. 

“Quando falamos de prevenção secundária, que refere-se a detectar precocemente a doença, isso tem grande utilidade no caso do câncer colorretal, pois é um dos meios que auxilia nas melhores chances de cura”, enfatizou o Dr. Jorge Sabbaga. 

Em um relato emocionado, a paciente e enfermeira do Icesp, Jaqueline Germano, contou sobre sua experiência com a doença, em que destacou a importância do acesso ao tratamento e as dificuldades enfrentadas entre a aceitação do diagnóstico até as sessões de quimioterapia. “Em vários momentos do processo pensamos em desistir, mas temos que sempre lembrar que é um passo de cada vez, temos dias bons e ruins”, concluiu. 

Ao falar sobre os cuidados com o paciente que necessita usar uma bolsa de ostomia temporária ou permanente devido o tratamento de câncer colorretal, a enfermeira Estomaterapeuta, Rita de Cássia Freitas, reforçou a importância de sempre mostrar que eles podem ter acesso à qualidade de vida com algumas adaptações no dia a dia. “É necessário sempre reforçar a importância da reinserção destes indivíduos em suas vidas sociais, não podemos limitá-los devido à ostomia”, enfatizou. 

Ao final do evento, os participantes ganharam uma visita guiada no Museu de Arte Contemporânea (MAC-USP) em que tiveram a oportunidade de conhecer um acervo belíssimo de obras de arte e ainda conhecer a vista do prédio para uma foto panorâmica.

Aconteceu no Icesp

Feed_cuidados_paliativos_enfase_ocnologia_adulto_01 (1)
Inscrições abertas: Especialização Multiprofissional em Cuidados Paliativos com Ênfase em Oncologia no Adulto
Feed_Radioterapia-para-formação-de-dosimetristas_01 (1)
Inscrições abertas: Especialização em Radioterapia para Formação de Dosimetristas
DCIM100MEDIADJI_0125
Instituto do Câncer realiza 7ª edição da Icesp Run
Deadline come closer, but girl never lose patience
Inscrições abertas: Mestrado Profissional em Inovação e Avaliação de Tecnologias em Cancerologia
feed
Inscrições abertas: Especialização Multiprofissional em Oncologia com Ênfase em Saúde do Adulto
Feed_Diagnóstico-por-Imagem-em-Oncologia-para-Biomédicos-e-Tecnólogos-em-Radiologia_01
Inscrições abertas: Especialização em Diagnóstico por Imagem em Oncologia para Biomédicos e Tecnólogos em Radiologia
IMG_7780
Instituto do Câncer promove desfile de pacientes para exaltar a autoestima e celebrar as conquistas durante o tratamento
231007 - 3º Festival Paulista de Remadoras Rosas (148)
Outubro Rosa: Instituto do Câncer promove Simpósio Internacional de Exercício e Câncer e 3º Festival Paulista de Remadoras Rosas
feed
Inscrições abertas: Curso Teórico-Prático de Terapia Antineoplásica

É o tratamento que utiliza iodo radioativo (Iodo-131) para o controle dos carcinomas diferenciados da glândula tireoide.

O objetivo é combater às células cancerígenas que ainda restaram na tireoide após a cirurgia (tireoidectomia) ou metástases, sendo destruídas através da radiação emitida pelo iodo.

Os pacientes recebem orientação para realização de uma dieta pobre em iodo, no período que antecede a internação, através do nutricionista ambulatorial. Evitam o consumo de sal iodado, sal marinho e alimentos salgados, pois são fontes de iodo.

O que você deve fazer:

• Enxágue a boca com água pura antes das refeições ou faça bochechos com chá de camomila antes das refeições.
• Experimente balas azedas e/ou ácidas ou gotas de limão (30 gotas em 1 copo de 200ml) ou gelatina de limão (caso não apresente feridas na boca).
• Use temperos naturais em maior quantidade, como: manjericão, orégano, salsinha, hortelã, alecrim, coentro, por exemplo.
• Substitua os talheres de metal pelos de plástico, caso sinta sabor residual metálico.
• Mantenha boa higiene bucal.

O que você deve evitar:

• Consumir alimentos muito quentes ou muito gelados.

O que você deve fazer:

• Preparar sua refeição na consistência que for mais bem tolerada, que ofereça menor dificuldade para mastigar ou engolir, podendo variar entre branda, pastosa ou líquida (conforme avaliação da fonoaudióloga).
• Tomar pequenos goles de água ou suco durante as refeições podem ajudar a engolir.
• Faça as refeições em pequenas quantidades, várias vezes ao dia.

O que você deve fazer:

• Consuma alimentos macios e pastosos.
• Prefira alimentos gelados ou à temperatura ambiente.
• Se necessário, utilize alimentos líquidos ou liquidificados.

O que você deve evitar:

• Alimentos ácidos, picantes ou muito salgados.
• Alimentos muito quentes.

O que você deve fazer:

• Prepare as refeições com caldos ou molhos. 
• Se não houver feridas na boca, chupe balas azedas e/ou ácidas, picolés ou gelo e mastigue chicletes (de preferência sabor menta), que podem ajudar a produzir mais saliva.
• Consumir líquidos em abundância: chás, sucos diluídos e, principalmente, água.

O que você deve evitar:

• Comer alimentos secos.

O que você deve fazer:

• Consuma líquidos em abundância (chás, sucos diluídos e principalmente água).
• Prefira frutas laxativas: ameixa, laranja, mamão, abacate, ameixa seca, manga, banana nanica.
• Consuma as frutas com casca e bagaço, quando possível.
• Consuma preferencialmente hortaliças cruas (legumes e verduras).
• Consuma farelo de cereais (arroz, aveia ou trigo).
• Consuma produtos integrais (arroz, pães e torradas).
• Consuma leguminosas regularmente (ervilha, feijão, grão de bico, lentilha, soja, por exemplo).
• Consuma leite e derivados: iogurte, leite fermentado, mingau de aveia.

O que você deve evitar:

• Alimentos constipantes, como ricota fresca, queijo branco, sagu, tapioca, maisena, banana prata, banana maçã, pera, goiaba e maçã sem casca e sem sementes, caju.

O que você deve fazer:

• Consuma líquidos em abundância: chás, sucos coados e principalmente água.
• Procure ingerir alimentos como batatas, chuchu, cenoura cozida, aipim, inhame, cará, creme de arroz, arroz, macarrão com molho caseiro coado, farinhas, torradas, biscoito água e sal ou de maisena, carnes grelhadas (frango, peixe ou boi).
• Prefira sucos de frutas coados: limonada, caju, maçã e laranja sem açúcar.
• Prefira leite de soja.
• Consuma as frutas: banana-maçã, maçã e pera sem casca, goiaba sem casca e semente, caju.
• Consuma apenas o caldo de leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico). 

O que você deve evitar:

• Leite e derivados. 
• Alimentos gordurosos (manteiga, toucinho, banha, creme de leite, por exemplo).
• Frutas cruas em geral.
• Frutas e sementes oleaginosas (abacate, coco, nozes, amêndoas, amendoim, castanhas). 
• Condimentos picantes (páprica, pimenta, mostarda, ketchup, por exemplo).
• Conservas em geral (picles, azeitona, palmito, aspargos, milho e ervilha).
• Embutidos (salsicha, linguiça, presunto, salame, mortadela, por exemplo). 
• Leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico).
• Hortaliças cruas: legumes e verduras folhosas.
• Alimentos que causam flatulência (gases), como couve-flor, brócolis, repolho e ovo.

O que você deve fazer:

• Prefira alimentos gelados ou em temperatura ambiente.
• Faça pequenas refeições em menor intervalo de tempo.
• Coma devagar e mastigue bem os alimentos.
• Beba sucos ou chupe gelo ou picolé de frutas cítricas, como limão (se não estiver com feridas na boca) nos intervalos das refeições.
• Realize suas refeições em lugares bem arejados.

O que você deve evitar:

•Frituras e alimentos gordurosos.
•Doces concentrados, como compotas, goiabada, marmelada.
•Condimentos fortes (pimenta, ketchup, mostarda, molho inglês, por exemplo).
•Deitar-se após as refeições.
•Ficar próximo à cozinha durante o preparo das refeições. 

Banco Santander 033

Agência 0201

Conta Corrente 13-005061-5

Fundação Faculdade de Medicina/ICESP

CNPJ 56.577.059/0006-06

Pular para o conteúdo
Faça a sua doação