Na semana do Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço, celebrado em 27 de julho, o Icesp promove ações de conscientização e combate à doença.

As atividades envolvem desde mini-palestras ministradas por uma equipe multidisciplinar a pacientes e acompanhantes do hospital nas salas de espera do serviço até a apresentação do coral “Amigos da Voz”, composto por 30 pacientes do Instituto submetidos à cirurgia de retirada da laringe, por conta de câncer na região das cordas vocais, no dia 26 de julho (quarta-feira), às 9h, no hall de entrada do Icesp.

O grupo de pacientes, que passa por um processo de reabilitação com acompanhamento da equipe de Fonoaudiologia do Instituto, canta sucessos como “Trem das Onze” e “É preciso saber viver”, e promete surpreender com uma paródia especial. A apresentação é realizada em conjunto com a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) e conta com o apoio de participantes do projeto “Amor na Prática”, que os acompanha com voz e violão.

Para falar com a população e tirar dúvidas sobre o tema, o hospital realiza ainda uma transmissão ao vivo em sua página do Facebook, também na quarta-feira (26), a partir das 12h. 

 

Câncer de cabeça e pescoço: sintomas e prevenção

O câncer de cabeça e pescoço representa a classe de tumores malignos das vias aerodigestivas superiores como a boca, a faringe e a laringe e tem como principais fatores de risco o tabagismo e o abuso do álcool, além da infecção pelo papilomavírus humano, o HPV, contraído principalmente por relações sexuais desprotegidas. Estima-se mais de 40 mil novos casos da doença a cada ano.

Embora os tumores sejam passíveis de detecção precoce, por estarem em regiões visíveis, muitas vezes os sintomas, como manchas brancas na boca, lesão ulcerada ou com sangramento e cicatrização demorada, nódulos no pescoço presentes por mais de duas semanas, mudanças na voz ou rouquidão persistente, ainda passam despercebidos. 

"Trata-se de uma doença grave, mas com potencial de prevenção alto e que, caso diagnosticada precocemente, tem altas taxas de cura”, ressalta o Dr. Leandro Matos, médico-cirurgião do Icesp.

Medidas simples como não fumar e nem consumir bebidas alcoólicas em excesso, além de dar preferência a alimentos pobres em gordura e ricos em fibras, ajudam a evitar o desenvolvimento dos tumores.

Especialistas orientam também que as pessoas se habituem a examinar sua boca regularmente, já que, se detectadas na fase inicial, a doença apresenta até 80% de chances de cura.

INSTITUTO DO CÂNCER DO ESTADO DE SÃO PAULO

Av. Dr. Arnaldo, 251 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01246-000 | Tel.11 3893-2000