O Icesp adota as 6 Metas Internacionais de Segurança do Paciente, estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e preconizadas pela Joint Commisssion International (JCI).

 

Meta 1 – Identificação Correta dos Pacientes

Identificar corretamente cada paciente atendido no hospital é o primeiro passo para uma assistência segura. Utilizamos dois identificadores: nome completo e data de nascimento. 

Meta 2 – Comunicação Efetiva

Uma assistência segura depende de uma comunicação eficaz entre os profissionais de saúde e entre setores, garantindo de forma oportuna, completa e clara, a transmissão de informações que irão favorecer a continuidade do cuidado.

Meta 3 - Melhorar a Segurança dos Medicamentos de Alta Vigilância

Erros de medicação representam uma ameaça à segurança dos pacientes. Medicações de Alta Vigilância são assim consideradas por representarem um risco ainda maior se administradas de forma equivocada. Estes medicamentos precisam ser gerenciados de maneira diferenciada dos demais, contemplando o processo de armazenamento, prescrição, dispensação, administração e monitoramento dos efeitos após administração. No Icesp, usa-se o conceito dos 5 “certos” para a administração de medicações:

• Paciente Certo

• Medicamento certo

• Dose Certa

• Via Certa 

• Horário certo

Meta 4 – Cirurgia Segura

A Organização Mundial da Saúde estabeleceu diretrizes para promover a segurança durante procedimentos cirúrgicos, definindo etapas e responsabilidades para toda equipe multiprofissional. O objetivo é garantir que o procedimento correto, seja feito no paciente correto, no local correto, com todos os recursos necessários disponíveis. Para tanto, há um conjunto de ações realizadas, desde o agendamento cirúrgico até o período pós-operatório. 

Meta 5 - Redução do risco de infecções associadas aos cuidados em saúde

A prevenção e o controle de infecções são grandes desafios na maioria das instituições de saúde. A principal atividade para a prevenção e eliminação de infecções é a higiene adequada das mãos. As diretrizes de higiene das mãos baseadas em evidências estão disponíveis na Organização Mundial da Saúde (OMS), nos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) e em várias outras organizações nacionais e internacionais.

O Icesp adere aos 5 momentos para higiene das mãos:

1- Antes de tocar no paciente; 

2- Antes de realizar procedimentos; 

3- Após o risco de exposição a fluídos corporais; 

4- Após o contato com o paciente; 

5- Após o contato com áreas próximas a ele.

Meta 6 – Prevenção de danos decorrentes de quedas

Quedas em ambientes hospitalares podem causar danos aos pacientes. O Instituto avalia individualmente todos os pacientes e identifica aqueles que apresentam uma propensão maior a sofrerem quedas, em função das condições clínicas atuais ou de fatores predisponentes. Diante do risco identificado, os profissionais adotam medidas preventivas e orientam pacientes e acompanhantes. Além disso, a Instituição conta com um ambiente hospitalar que visa minimizar os riscos, disponibilizando mobiliários adequados e estrutura física planejada.

INSTITUTO DO CÂNCER DO ESTADO DE SÃO PAULO

Av. Dr. Arnaldo, 251 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01246-000 | Tel.11 3893-2000