Durante o tratamento do câncer alguns efeitos colaterais podem surgir, prejudicando muitas vezes a rotina do paciente. O importante é ter em mente que a maioria deles desaparecerá após o tratamento. Vamos conhecer um pouco mais sobre os principais efeitos:

Constipação

Alguns quimioterápicos ou outros medicamentos pode prejudicar o processo de eliminação de fezes durante alguns dias. Isso acontece principalmente em pessoas menos ativas ou que apresentaram alterações na dieta. O indicado é beber bastante líquido; consumir alimentos , ricos em fibra; e realizar exercícios físicos com supervisão médica. Se o problema persistir, é importante retornar ao hospital.

Diarreia

A evacuação com uma frequência maior ao longo do dia ou fezes muito mais líquidas do que o de costume podem ocorrer quando a quimioterapia afeta as células do intestino. É importante procurar o médico caso esses sinais persistam, para evitar o risco de desidratação. Nestas situações, é importante evitar café, álcool, doces, leite e derivados, frituras e alimentos gordurosos;  o uso de fibra alimentar ou de alimentos ricos em fibra, até a diarréia parar; e alimentos laxativos como ameixa e mamão. Beber água, consumir alimentos ricos em potássio (bananas, laranjas, batatas e pêssego) e constipantes (goiaba e caju) podem no controle do efeito.

Fadiga

É comum durante a quimioterapia e deve sempre ser relatado ao médico. Trata-se de uma sensação de diferente da experimentada por pessoas que não têm a doença porque atrapalha na realização de suas atividades do dia a dia e não melhora após o sono. Por isso é chamada de fadiga.

Para combater a fadiga entre as dicas estão realizar exercícios físicos com supervisão do médico; repousar ao longo do dia durante curtos períodos; evitar atividades que exijam muito desgaste físico; e manter uma dieta bem equilibrada e beber bastante líquido.

Mucosite

Feridas na região da boca, gengiva e garganta que não cicatrizam muito rápido podem ser consequência de alguns tratamentos. Se expostas por muito tempo, podem causar infecções. Merece ainda mais atenção se as feridas vierem acompanhadas de inchaço e vermelhidão.

O ideal é prevenir utilizando escovas de dente macias e cremes dentais leves; fazer bochechos com bicarbonato de sódio em água fervida (aplicando à temperatura ambiente); evitar alimentos sólidos que possam ferir a mucosa fragilizada; e manter os lábios lubrificados.

Náusea e vômito

Devido às mudanças no organismo é muito comum o paciente ter náusea e vômito, que podem durar por tempo indeterminado. Algumas dicas importantes são mastigar bem os alimentos, realizando refeições pequenas e freqüentes durante o dia; tomar líquidos cerca de uma hora antes ou depois das refeições; evitar bebidas junto com a refeição e alimentos doces, fritos e gordurosos; para evitar incômodos com o cheiro; e consumir alimentos frios ou em temperatura ambiente.

Queda de cabelo

Chamada de alopecia, a queda de cabelo pode acontecer devido a alguns tratamentos quimioterápicos. A queda acontece em todas as partes do corpo, não apenas na cabeça e pode acontece gradualmente ou em chumaços. Uma vez terminado o tratamento, o cabelo volta a nascer. Importante saber que após o processo, os fios voltam a crescer.

Toxicidade hematológica

Como a quimioterapia age em todo o organismo, atingindo também as células saudáveis, como as da medula óssea. A toxicidade hematológica trata-se da redução da produção de células do sangue (hemoglobinas, neutrófilos, plaquetas, etc.). Como consequência, o paciente pode ter anemia, palidez na pele, fadiga, aumento do risco de infecção e do risco de sangramento.

Fonte:
Instituto Nacional do Câncer (INCA)

INSTITUTO DO CÂNCER DO ESTADO DE SÃO PAULO

Av. Dr. Arnaldo, 251 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01246-000 | Tel.11 3893-2000