O tabagismo é a dependência química e psicológica do tabaco, uma doença que pode ser prevenida e tratada. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o fumo é a principal causa de morte evitável no mundo.

O uso do tabaco:

  • Compromete a resistência física;
  • Modifica a pressão sanguínea, a frequência cardíaca e o nível de oxigênio no sangue;
  • Pode causar disfunção erétil, complicações na gravidez, úlceras, infecções respiratórias, trombose, sinusite e envelhecimento precoce da pele;
  • É responsável por mais de 30% dos casos de câncer e está relacionado a tumores na boca, faringe, pâncreas, estômago, mama, intestino e, principalmente, pulmão. Quando associado ao álcool, aumenta 150 vezes as chances de desenvolver a doença;
  • Prejudica a todos que estão a sua volta, os chamados fumantes passivos. Substâncias tóxicas da fumaça podem causar as mesmas doenças que acometem os dependentes do tabaco;
  • Aumenta o risco de mortalidade fetal e infantil se utilizado durante a gravidez.

Parando de fumar:

  • Escolha uma data para ser o primeiro dia sem cigarro;
  • Parar de fumar de uma vez só é a opção mais apropriada. Se não conseguir, reduza a quantidade de cigarros gradativamente;
  • Nos primeiros dias é normal sentir ansiedade, irritação, dificuldade de concentração, dores de cabeça e muita vontade de fumar. Estes sintomas são causados pela dependência da nicotina e desaparecem em no máximo duas semanas;
  • É comum ocorrer aumento da fome e do peso. Para diminuir a ansiedade pela abstinência, praticar atividades físicas e consumir líquidos (à exceção de café e álcool, que podem ser um convite ao fumo), balas ou chicletes dietéticos podem ajudar;
  • Recompense seu esforço guardando o dinheiro que gastaria com cigarros para comprar um presente ou para gastar em algum programa diferente;
  • Tenha cuidado com métodos milagrosos para parar de fumar. Se não conseguir parar sem ajuda alguma, peça orientação médica sobre os recursos eficazes para combater a dependência do tabaco.

O que seu corpo ganha sem o cigarro:

  • O tempo médio para que o organismo comece a perceber os benefícios de parar de fumar é de apenas 20 minutos.

Fonte: American Cancer Society

Período:

  • 20 minutos - Pressão arterial e batimentos cardíacos voltam ao normal. Temperatura das mãos e pés se elevam;
  • 2 horas - Não há mais nicotina circulando no sangue;
  • 8 horas - Diminui a quantidade de monóxido de carbono e a oxigenação do sangue volta ao normal 12 e 24 horas. Os pulmões começam a funcionar melhor, diminuem os riscos de um ataque cardíaco; 
  • 2 dias - O olfato e o paladar ficam mais aguçados;
  • 3 semanas a 3 meses - A respiração fica mais fácil e melhora a circulação sanguínea;
  • 1 a 9 meses - Redução da tosse, da congestão nasal, do cansaço, da falta de ar e do risco de infecções respiratórias. 
  • 1 ano - Redução pela metade do risco de infarto;
  • 5 anos - Redução pela metade da possibilidade de desenvolver câncer de pulmão, boca, garganta e esôfago. O risco de um derrame cerebral passa a ser o mesmo de uma pessoa que nunca fumou;
  • 10 anos - O risco de desenvolver câncer de pulmão passa a ser igual ao de uma pessoa que nunca fumou;
  • 15 anos - O risco de sofrer um infarto passa a ser igual ao de uma pessoa que nunca fumou.

Números do tabaco:

  • Contém 4700 substâncias químicas, sendo 40 cancerígenas;
  • No Brasil, cerca de 23 pessoas morrem por hora por causa de doenças ligadas ao cigarro.

Causa:

  • 90% das mortes por câncer de pulmão;
  • 85% das mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica;
  • 30% das mortes por câncer;
  • 25% das mortes por doença coronariana;
  • 25% das mortes por doença cerebrovascular.

INSTITUTO DO CÂNCER DO ESTADO DE SÃO PAULO

Av. Dr. Arnaldo, 251 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01246-000 | Tel.11 3893-2000