O câncer é uma doença grave e as opções de tratamento são por vezes limitadas. Os voluntários de um estudo clínico têm a oportunidade de receber novas terapias – algumas delas consideradas muito promissoras e muitas ainda indisponíveis na prática rotineira. 

Ao longo de um estudo clínico, muito se descobre sobre o controle da doença do paciente que participou da pesquisa. As informações obtidas ao final do estudo também podem, no futuro, beneficiar outros pacientes com tratamentos mais eficazes. Estudos independentes já demonstraram que participantes de pesquisas clínicas podem ter maior probabilidade de sobrevida em relação aos que não têm essa oportunidade. 

Consentimento informado

Cada paciente que se voluntaria para participar de um ensaio clínico recebe um Termo de Consentimento Livre Esclarecido (TCLE). Trata-se de um material informativo contendo, em detalhes, os procedimentos e/ou tratamentos que o paciente fará ao longo do estudo, os possíveis efeitos indesejados, os riscos associados à participação, os deveres de todas as partes envolvidas na pesquisa e outras informações relevantes. 

Assim que recebe o TCLE, o paciente tem alguns dias para lê-lo e, se julgar necessário, esclarecer dúvidas com o médico ou enfermeiro de pesquisa. Se aceitar participar do estudo, basta assinar o termo. Pacientes que não conseguirem ler ou entender o que está escrito no termo podem assegurar este processo de informação e consentimento por meio de uma testemunha imparcial ou, em casos específicos, por meio de seu representante legal. 

Confidencialidade

Garantir a confidencialidade do paciente é uma exigência das autoridades regulamentares. Quem aceita participar de estudos clínicos para testar novos medicamentos e/ou procedimentos jamais terá revelado seu nome ou informações pessoais, nem mesmo em publicações científicas. 

 

INSTITUTO DO CÂNCER DO ESTADO DE SÃO PAULO

Av. Dr. Arnaldo, 251 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01246-000 | Tel.11 3893-2000